terça-feira, 12 de junho de 2012

Resenha: Filme Amor sem escalas


                O personagem de George Clooney, Ryan Binghan, tem um emprego diferente, sua função é viajar pelo mundo e demitir funcionários de diversas empresas quando o patrão não tem coragem de fazer isso ele mesmo. O personagem possui um objetivo que é atingir um número de milhas e suas viagens o motivam a alcançar esta meta, ele também ministra palestras motivacionais apresentando uma mochila onde mostra como é difícil carregar tudo o que temos na vida então ele mostra nestas palestras como andar com a mochila mais leve. Isso, claro, simbolizando que a pessoa deve ter uma vida sem compromissos.


Claro que despedir pessoas está longe de ser o melhor emprego do mundo, mas ele está longe de estar insatisfeito com sua vida. A vida dele é essa rotina de trabalho. Aeroportos e hotéis o fazem se sentir em casa muito mais do que quando ele está em sua própria casa. Ele não tem casa, na verdade. Ele tem um endereço para correspondência. Assim como não tem escritório, tem um endereço onde seu chefe tem um escritório. A vida de Binghan, pessoal e profissional, está no céu. Entre um voo e outro.


 Ocorre que seu estilo de vida é ameaçado com a chegada de Natalie Keener na empresa. Ela tem um planejamento de cortar as viagens dos agentes. Ao invés de viajarem, eles fariam a demissão através de uma webcam, cortando os custos de viagem e hospedagem. Binghan se opõe pelo tratamento que as pessoas vão receber, mas seu chefe não está muito preocupado com isso e o obriga a levar Natalie nas suas viagens para apresentar o seu trabalho já que ele questiona que não dará certo esta mudança. A aceitação de uma ideia nova demora um pouco, em todas as organizações, o indivíduo tende a rejeitar mudanças. Em uma de suas viagens, ele conhece Alex (Vera Farmiga), também executiva, que tem o mesmo estilo de vida que Ryan, só que um pouco misteriosa em relação a sua vida pessoal. Pode-se dizer que a vida solitária e desarraigada de família e amigos foi uma escolha onde ele se realiza e é feliz profissionalmente. Na profissão, ele se torna frio e distante das pessoas, não se deixa envolver emocionalmente com o sofrimento alheio, mas ainda possuía uma mansidão, sendo agradável com os mais próximos.


Aos poucos, na companhia dessas mulheres, Ryan Bingham começa a ver o outro lado da moeda. De certa forma, Amor sem Escalas é um filme sobre um homem de negócios, que descobre sua condição humana. O que o filme quer mostrar é que cada um de nós pare um pouco, neste mundo estressante, dominado por informações, e reflita sobre o que (ou quem) vale a pena nesta vida, que é muito curta. Se você já está condenado e não tem saída, pelo menos, procure o melhor final feliz possível: Prove a si próprio que tentou. E que continuará tentando sendo sempre motivado a novas realizações e que independente da mudança vai sempre seguir em frente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário